sábado, 15 de setembro de 2007

A capa falsa da mentira

ouvi muitas vezes:
mentira bem contada
e repetida com insistência
costuma tornar-se verdade.
Também ouvi:
ato errado
realizado sem testemunha
é legítimo:
quem poderá provar a leviandade?

os políticos mentem, creio (mais) agora
(ainda mais
se a verdade lhes custar
as tetas
de onde sugam
o leite
pago pelo suor
do cidadão honesto)

as teorias mentem, creio agora.
Tudo mente
até o ditado:
“a mentira tem pernas curtas”;
o pior de tudo
é que essa vadia
tem pernas longas
e corre muito
pondo-se escondida
sob os palanques
das próximas campanhas eleitorais
onde já não existe memória
e a “verdade” reina livre

estou convicto:
a retórica insistente
é mãe de toda mentira
descarada
(agradeço aos senadores brasileiros
a ajuda para que eu pudesse concluir isso)

a mentira tem pernas longas e corre
mas um dia haverá de cansar
e a verdade aparecerá
sobre as capas falsas
(estampadas na face dos cínicos)
que a mentira apelidou de honestidade

Um comentário:

Cláudia Banegas disse...

Olá!! Vim conhecer seu blog...adorei. A poesia, como sabemos, é um lindo meio de comunicação, onde os poetas, escritores, expressam seus sentimentos e pensamentos, sem censura - ainda - no nosso país. Ela pode não mudar o mundo, mas pode torná-lo melhor.
Voltarei sempre, abraços!